terça-feira, 9 de novembro de 2010

O CINEMA NOSSO DE CADA DIA - António Augusto

Sinopse:

"O mais grave é que sei que mais tarde ou mais cedo isso vai acontecer, um dia vou estar suficientemente bêbado para o fazer. Não hoje, mas um dia... O ambiente quente e saturado, com cheiro forte a suor, juntamente com a imagem da Susana atrás do balcão estão a deixar-me muito excitado. Acabo rapidamente a bebida para sair dali para fora, preciso de apanhar ar novamente. Desço as escadas o mais rápido que posso, atravesso a pista de dança ao som do Suds & Soda dos dEUS..."

Opinião:
Este romance foi finalista do concurso literário promovido pela Editora Alma Azul em 2009, pelo que tratando-se de um concurso o escritor António Augusto teve respeitar uma série de regras. Uma das quais a sua extensão, por isso, é que esta pequena e grande obra tem cerca de 40 páginas.
Posso dizer sinceramente, que foi inevitável não ficar com uma sensação de vazio. A história cativou-me de tal forma, que quando cheguei ao último capítulo, gostava que houvesse mais dois e quando cheguei ao fim, gostava que houvesse um segundo volume.
Apesar de ser um romance, existem passagens nesta narrativa cheias de humor, até dei por mim a rir sozinha de tão engraçadas que eram.
Um pormenor que achei muito interessante, são os nomes dos capítulos. O escritor dividiu a narrativa em pequenos capítulos, todos eles identificados com um nome de um filme, o que não é de estranhar tendo em conta a sua paixão por esta temática.
Foi um momento agradável que este escritor me proporcionou, ao oferecer-me este livro. Mas espero acima de tudo, que esta obra não seja a única, porque um dom como este não poderá ficar guardado dentro de uma gaveta.
Espero ansiosa por novidades…

Artigos Relacionados:

Sem comentários:

Publicar um comentário

Obrigada pelo seu comentário...