quarta-feira, 4 de maio de 2011

OS OLHOS AMARELOS DOS CROCODILOS – Katherine Pancol

Sinopse

Este é um romance sobre uma mentira, mas também sobre a amizade e o amor, o dinheiro e a traição, o medo e a ambição.

A acção desenrola-se em Paris. Duas irmãs. Iris é uma mulher muito bonita, rica, elegante e sofisticada, mas vive desencantada com a vida e com o seu casamento. Joséphine é uma intelectual, historiadora, muito menos bonita do que a irmã e com uma vida bem mais difícil. Casada, tem duas filhas, vive nos subúrbios e trabalha para pagar as contas.

Certo dia, num jantar, Iris faz-se passar por escritora. Presa na sua mentira, convence a irmã a escrever o livro que ela própria assinará. Abandonada pelo marido, cheia de dívidas, Joséphine submete-se, como sempre, aos caprichos da irmã. Mas esta é uma decisão que vai mudar o destino destas duas mulheres.

A escritora francesa Katherine Pancol traça com mestria um retrato real e vivo de mulheres que tentam triunfar na carreira profissional, na vida familiar e alcançar o reconhecimento social. Mas que, por baixo desta aparente vida de sucesso, escondem uma profunda infelicidade, falta de confiança e frustração.

Os Olhos Amarelos dos Crocodilos é uma verdadeira lição de vida. Este romance, um verdadeiro best-seller em Espanha e França, dá-nos a conhecer as mulheres que somos, as que queremos ser, as que nunca seremos e as que talvez sejamos um dia. Mulheres à procura de um caminho na vida, em busca de si próprias e à descoberta de novos amores.

Opinião

Esta foi uma estreia surpreendente. Adorei esta leitura!!

As opiniões eram controversas. Alguns leitores diziam mil maravilhas deste livro, para outros era uma leitura desinteressante. Talvez por isso, peguei nesta leitura com uma certa hesitação, não fazia ideia do que iria encontrar.

Depressa a minha opinião se formou!!

Fiquei completamente envolvida nesta história, uma história que se desenrola em torno de uma mentira, mas que acima de tudo se foca nas relações humanas. Este foi um aspecto que achei muito interessante. Deparamo-nos com um conjunto diversificado de personagens, que se afirmam ou pretendem se afirmar, tanto na sua vida pessoal como na sociedade.

De todas as personagens, fiquei rendida com Joséphine, talvez por me identificar um pouco com ela ao inicio. Uma personagem forte, a meu ver, que se foi descobrindo e desabrochando no decorrer desta narrativa.

Estou ansiosa para adquirir o segundo volume, “A Valsa Lenta das Tartarugas”, para saber o que o destino reserva a estas duas irmãs. Até onde leva a ambição de Iris e a humildade de Joséphine, mas sobretudo se esta última irá aventurar-se a escrever outra obra, dando a cara e sem ter o apoio da posição social da irmã.

Recomendo!!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Obrigada pelo seu comentário...